Vice-governador do Huambo realça capacidade de resiliência das empresas Huambo.

O responsável teceu estas considerações ao intervir na cerimónia de assinatura do Memorando de Entendimento entre o Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) e as empresas locais, no âmbito da implementação das medidas de apoio financeiro, previstas no Decreto Presidencial nº 98/20, de 09 de Abril.
Na ocasião, o vice-governador disse não ser fácil garantir a sobrevivência das empresas numa realidade tão controversa, tal como se assistente nos dias de hoje, daí a razão de adoptarem um planeamentos estratégicos capaz de suprir as externalidades negativas, de modo a preservar a sua estabilidade.
José Cornélio referiu que a cadeia de valores das empresas deve ser demonstrada no exercício económico, de forma holística, tendo em conta a garantia da credibilidade operacional perante as instituições financeiras.
Neste contexto, considerou as medidas de apoio às empresas como sendo de extrema importância, pois contribui para o alívio económico, num momento particularmente crítico.
Na província do Huambo, um total 94 empresas candidataram-se a este financiamento, sendo 42 do sector agro-alimentar, 34 de distribuição e comércio, sete do ramo da indústria, seis da pesca e três dos transportes, tendo sido seleccionadas, nesta primeira fase, 19 instituições.
Trata-se das empresas BMK, Manuel e Filhos Lda, Maria Domingos, Cacel e Filhos, AOSAG, Lda, Nutricampo, Ls$SS Lda, Certivias, Audácia Vb, Aviário Agripina, Nutrivial, fazendas Gl, Ninho, Manuel e Manuel, Santa Sé, fábrica Osema Yetu, Soyadubos e Exaltex.
As medidas de apoio financeiro às empresas surgem com o objectivo de assegurar a manutenção mínima dos níveis de actividade das micros, pequenas e médias empresas do sector produtivo, com uma linha de financiamento de 26.4 mil milhões de kwanzas, a serem operacionalizados, em todo país, a pelo Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), com reembolso de 24 meses, seis de carência e uma taxa de juro de 9 por cento.
Fonte: Angop